Doenças Sintomas

Síndrome do Pânico pode matar? A Síndrome leva ao óbito ou não?

sindrome-do-panicoA Síndrome do Pânico é uma doença que causa no paciente a sensação de que vai a óbito, mas apesar deste seu principal sintoma, a Síndrome do Pânico não mata.

  • Dor no peito;
  • Aceleração dos batimentos cardíacos;
  • Tonturas;
  • Sensação de fraqueza e desmaio;
  • Formigamento nas mãos.

Estes são alguns sintomas que fazem com que a Síndrome do Pânico seja confundida com outras doenças e causada por um alto nível de estresse.

Não há um momento específico para você começar a sofrer com este problema, que pode surgir a qualquer momento da vida e sem um motivo específico.

Em cada pessoa a Síndrome do Pânico pode desenvolver de maneira diferente, sendo em algumas, os sintomas, mais intensos que em outras. A sensação de medo toma conta do paciente, gerando insegurança, aflição e inquietude. A ansiedade provocada, faz com que o paciente acredite que vai ter um ataque cardíaco devido às fortes palpitações. Pode se imaginar o desconforto e a assustadora sensação que tira o sono desta pessoa.

Quais são os sintomas?

Além do medo exagerado, outros sintomas devem aparecer, para que o paciente seja diagnosticado com a Síndrome do Pânico, dentre os sintomas abaixo, se o paciente apresentar 4 deles além do medo, se confirma o medo-de-morrerdiagnóstico. São eles:

  • Naúseas;
  • Tremores;
  • Dores abdominais;
  • Falta de ar;
  • Calafrios;
  • Arrepios;
  • Sensação de sufoco ou asfixia;
  • Medo desesperante de morrer;
  • Sensação de que está ficando louco;
  • Batimentos cardíacos acelerados;
  • Falta de ar;
  • Sudorese;
  • Desmaios;
  • Formigamento nas mãos;
  • Dormencia

Se o paciente apresenta 4 ou mais destes sintomas além do medo, pode se prever uma sensação realmente assustadora. Após sentir que está em perigo por um tempo, aos poucos o paciente vai se acalmando até voltar ao seu estado normal.

As crises da síndrome podem acontecer a qualquer momento.

Tipos de Síndrome

As crises de Síndrome do Pânico aparecem de formas diferentes. Pode um paciente experimentar tipos diferentes ou apenas um dos tipos.

crise-noturna

  • Crise Inesperada – são as crises de medo repentinas que surgem de uma hora para outra sem nenhum motivo;
  • Crise esperada – Quando o paciente já predispõe de alguma fobia, como por exemplo o medo de cachorro, ao se deparar repentinamente com um, surge a euforia, o tremor, o susto e várias reações de medo absoluto;
  • Crise noturna – No meio da noite, até um sonho ou pesadelo podem despertar a angústia e medo repentino. Acordar assustado a noite com o coração acelerado é característico de quem está passando pelo ataque noturno de Síndrome do Pânico.

No caso das crises noturnas, é normal que o paciente acorde quem está por perto pensando que está tendo um ataque e que necessita socorro.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.