Doenças Sintomas

Nanismo – Tipos, causas, diagnóstico e tratamento

Conheça os tipos, causas, diagnóstico e tratamento para o Nanismo, o transtorno da defeciência do crecimento.

A deficiência de crescimento é um transtorno que pode acometer tanto homens quanto mulheres, esta é a deficiência que denominamos nanismo.

nanismo

O nanismo se caracteriza pela falta de crescimento, ou o crescimento médio muito abaixo do normal, podendo um adulto não passar da medida de estatura de uma criança.

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a pessoa que tem nanismo pode levar uma vida normal e saudável e em raríssimos casos, a capacidade intelectual pode sofrer algum desvio. A parte de que estas pessoas estão expostas a algum tipo de preconceito e discriminação de nossa sociedade, um problema muito comum no dia a dia de uma pessoa com nanismo, é a falta de preparo das nossas construções, que são todas baseadas em pessoas de estatura normal, ou seja, pessoas mais altas, é o caso dos ônibus e até dos degraus das escadas.

Dificuldades mais comuns:

pessoa-com-nanismo
  • Utilizar transporte público;
  • Acessar caixas eletrônicos;
  • Passar no caixas de bancos de supermercados;
  • Alcançar produtos em prateleiras;
  • Acessos sanitários (lavatórios de banheiros em shoppings por exemplo).
  • Fechaduras de portas em hospedagens.

Tipos de nanismos

O crescimento normal pode sofrer alterações devido à diversos fatores e um deles é o nanismo, que se caracteriza em tipos diferentes:

tipos-de-nanismo
Nanismo Primordial
  • Nanismo desproporcional – Neste tipo de nanismo a pessoa tem uma sídrome genética que influencia no crescimento dos maiores ossos do corpo humano. É o caso do fêmur, e do úmero por exemplo. Neste caso, as cartilagens que formam os ossos, se transformam num espaço menor de tempo, interrompendo o crescimento normal. Com isso o desenvolvimento dos ossos vai acontecer de forma diferente uns dos outros, ou seja, desproporcional, o que justifica o nome dado. São características do nanismo desproporcional: Cabeça grande, mãos pequenas, braços e pernas curtas e a baixa estatura, é claro.
  • Nanismo Hipofisário ou pituitário – Este tipo de nanismo é o que acontece pela falta do ou deficiência do hormônio do crescimento e também por distúrbios metabólicos. Há casos em que o corpo também é resistente ao hormônio do crescimento humano, ou seja, a pessoa tem a produção normal, mas o corpo resiste e não o absorve. Neste tipo, o corpo se desenvolve de maneira proporcional, apesar de não ganhar estatura. A estatura média de uma pessoa com nanismo pituitário pode ser até 20% menor que uma pessoa normal com a sua mesma idade e sexo.

A estatura média de um homem com nanismo chega a no máximo 1,45 metro, enquanto a mulher não passa de 1,40 metro. Otermo anão e anã eram usados e são ainda por algumas poucas pessoas, mas são palavras  que trazem depreciação da imagem da pessoa mediante a uma sociedade em que ainda há preconceitos.

Causas do nanismo

familia-de-baixa-estatura

Fatores  hereditários e o sistema neuroendrócrino são de total  relevância quando de trata do crescimento. Despois destes fatores, a nutrição e a qualidade de vida acompanham o desenvolvimento mas não são causas específicas do nanismo. Pode-se dizer que então que famílias com pessoas de baixa estatura, tendem a manter o padrão médio de estatura por causa da herança de genes.

Uma geração de pessoas de baixa estatura, não tem uma causa definida, pode uma pessoa na puberdade passar por um atraso no crescimento, assim como pode uma ser restrito o crescimento desde a fase intrauterina do feto.

O crescimento pode sofrer alterações durante a infância por causas como:

  • Doenças renais;
  • Doenças cardíacas;
  • Problemas endócrinos;
  • Problemas respiratórios;
  • Desnutrição;
  • Problemas relacionados ao hormônio da tireóide;
  • Deficiência do hormônio do crescimento humano;
  • Síndromes genéticas

  Sintomas

nanismo-desproporcional

A estatura baixa é a principal evidência do nanismo, independente do tipo. O nanismo hipofisário também pode retardar o desenvolvimento sexual da pessoa. Já no caso do nanismo desproporcional, a macrocefalia é uma característica notável, já que a cabeça se desenvolve mais se comparada a outros membros. Neste caso, as pernas também têm uma apresentação arqueada e os pés pequenos, achatados e planos dificultam os movimentos.

Os dentes sofrem desalinhamentos devido à protusão da mandíbula.

Em cada pessoa as características citadas podem aparecer em diferentes proporções sendo em umas mais acentuadas que em outras.

Como Diagnosticar o transtorno

tudo-sobre-o-nanismo

A acondroplasia pode ser diagnosticada já nos primeiros anos de vida através de exames de imagens dos ossos, as radiografias. A partir do sexto mês de gestação, nas ultrassonografias, há possibilidade de se notar alterações na coluna e com um teste de DNA pode-se comprovar a suspeita.

Quando diagnosticado, o nanismo deve ser identificado para que o acompanhamento seja para o caso específico, respeitando as peculiaridades de cada tipo.

Tratamento

Sendo o nanismo pituitário, o tratamento deve se iniciar tão logo identificado, ou seja, imediatamente após o diagnóstico. Fazendo isto, o tratamento pode ser eficaz ou pelo menos amenizar as características da doença.

hormônio-do-crescimento

Se a causa for a deficiência de hormônio do crescimento, o tratamento será a administração do hormônio, durante a fase de crescimento ou enquanto se fecham as cartilagens ósseas. Esta é uma terapia de reposição hormonal que deve ser aplicada diariamente utilizando canetas específicas para a aplicação. Após aplicar, a pessoa deve descansar e preferencialmente dormir enquanto o organismo absorve o tratamento.

São vários anos de tratamento e que deve ser acompanhado por um médico especialista no caso, afim de apresentar soluções caso o paciente passe por alguma reação adversa do medicamento.

O que talvez muitas pessoas não sabem é que o hormônio de crescimento é distribuído gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Esta é uma reposição de alto custo, que em geral os planos de saúde não cobrem e que para receber pelo SUS, o paciente precisa comprovar a necessidade da reposição.

Existem ainda técnicas cirúrgicas para alongamento dos ossos, mas é um processo que além de ter um custo benefício alto, pode ser de risco e a recuperação é bastante demorada, tendo a pessoa, que ficar de cadeira de rodas.

Outras considerações

viver-com-nanismo
Uma pessoa com nanismo pode levar uma vida completamente normal
  • Casais que pensam em ter filhos e têm caso de acondroplasia na familia, devem fazer o aconselhamento genético. Este é um recurso, que ainda que não seja de absoluta precisão, o mais utilizado e indicado nestes casos.
  • Para um crescimento saudável e normal se você não tem o nanismo, o ideal é manter uma alimentação nutritiva e balanceada. Hábitos saudáveis e a prática de atividades físicas são fortes aliados ao crescimento.
  • Nos primeiros anos de visa, o bebê deve manter uma rotina de visitas ao pediatra para acompanhar o crescimento, assim como o desenvolvimento em geral da criança;
  • O corpo pode resistir ao hormônio do crescimento e você não perceber resultado da reposição;
  • Uma pessoa com nanismo deve manter um acompanhamento com especialistas de diferentes áreas da medicina: pediatras, odontologista, ortopedista, fisioterapeutas, endocrinologistas, psicólogos entre outros.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.